Publicado em

Crie um clube fidelidade, seus clientes querem viver momentos exclusivos com você

Clube Fidelidade - Yazaki lifestyle

Os clubes de fidelidade para restaurantes estão crescendo exponencialmente no mercado FOODSERVICE. Eles são uma excelente proposta para bares, cafeterias, hamburguerias, padarias, confeitarias, e afins. A hora de começar a investir nessa prática e sair na frente dos seus concorrentes é agora. Continue lendo o post e saiba mais!

Clube fidelidade - Yazaki lifestyle

Resultados rápidos:

Os estabelecimentos de alimentação fora do lar costumam ter alta taxa de retorno de clientes. No ramo da gastronomia diferente a outros negócios relacionados ao varejo os consumidores potenciais podem consumir seus produtos diariamente.

Custo Baixo:

No ramo gastronômico as recompensas costumam envolver produtos manufaturados no estabelecimento, com maior margem de lucro, sendo muito viável recompensar um cliente fiel sem comprometer a lucratividade. Além de ter custo atrativo Implantar um programa de fidelidade para bares e restaurantes otimiza o investimento em marketing de relacionamento.

Engajamento de clientes:

No caso do “Clube Confiance” (nosso programa de fidelidade) o engajamento e aumento de clientes acontece mais rápido. Os convites e recomendações de cadastros para novos integrantes do clube também são recompensados. O resultado é um conhecimento/engajamento profundo dos grupos de clientes, possibilitando o aumento das vendas em momentos específicos como: aniversários, feriados, festas empresariais, eventos exclusivos.

A criação de um plano estratégico envolvendo grupos de confiança permite desenvolver ações direcionadas para públicos específicos e segmentados.

 

Principal vantagem:

Hoje existe uma forte concorrência no mercado. Cada vez surgem mais e mais empreendimentos e a oferta de produtos, serviços e preços acabam por ser repetitivas para os clientes. Em momentos assim o clube de fidelidade passa a ser um serviço considerado pelos clientes. Ao oferecer vantagens e estimular o relacionamento as chances do cliente recomendar o seu negócio aumentam consideravelmente.

 

Atualmente é muito rápido e acessível colocar em prática um clube de fidelidade. Coloque seus clientes num programa de confiança, eles querem viver momentos exclusivos com você.

Empresas que queiram investir em uma solução prática para fidelizar seus clientes podem contratar os serviços de uma equipe especializada em criar fidelidade e confiança como é o nosso caso aqui na Yazaki lifestyle .

Publicado em

2 caminhos que você pode usar para alavancar um negócio gastronômico

yazaki lifestyle - negócios gastronômicos

Falo diariamente com empreendedores do ramo gastronômico, alguns estão obtendo ótimos resultados financeiros em seus negócios, outros não.

Estudando eles encontrei 2 padrões principais:

 

 

1: O Empreendedor desenvolve o negócio de acordo a sua percepção e necessidade, depois sai para procurar e atender clientes.

 

 

2: O empreendedor estuda quais públicos quer atender, descobre problemas e necessidades, depois atende resolvendo o problema.

 

Abordagem generalizada

Abordagem segmentada

 

Vantagens

 

a) desenvolver negócio com estilo e conceito próprio,

b) possibilidade de inovar num mercado saturado,

c) liberdade para criar e instaurar uma nova cultura,

d) fazer o que sabe fazer, por paixão. 

 

 

 

Desvantagens

 

a) atender todo tipo de clientes ao mesmo tempo,

b) precificação desequilibrada

c) time sobrecarregado,

d) não se tem noção da demanda,

e) quebra de produção,

f) alto custo com atração de clientes.

 

 

Vantagens

 

a) qualificação de público e atração de clientes,

b) precificação adequada ao público,

c) inovar olhando para os consumidores,

d) fornecedores e colaboradores adequados a demanda,

e) retorno do investimento é acelerado.

 

Desvantagens

 

a) focar nas necessidades dos clientes,

b) é necessário um bom planejamento,

c) pensar em crescimento acelerado,  

d) tem de se usar mais a razão, junto ao coração,

e) é necessária assessoria de profissionais capacitados.

Para você qual o melhor caminho?

Quer saber mais? Click aqui - Deixe um comentário ou entre em contato. #juntosvamoslonge.

yazaki lifestyle - negócios gastronômicos
Yazaki lifestyle - Agência e consultoria para negócios gastronômicos

 

 

Consultor:
Emiliano Machado - emiliano@yazakilifestyle.com.br

@yazakilifestyle

 

Publicado em

Curso online mostra como fazer Gestão Inteligente em Bares e Restaurantes

yazaki-lifestyle-maislucro

Você esta procurando ser o melhor do mercado gastronômico? Então escolha um contexto no qual seu produto ou serviço tenha diferencial competitivo. Faça uma gestão inteligente, mantenha um custo de operação lucrativo e precifique com margens justas para o negócio e para os seus clientes, só assim você vai aumentar a percepção de valor sobre sua marca/produto.

 

Gestão inteligente:

 
Qual é o segredo? DADOS!
E como entender os dados? ANÁLISE!
 

No curso de Gestão Inteligente com indicadores vamos ensinar a por a “mão na massa”, para extrair e manipular dados e informações que valem ouro nos Bares e Restaurantes.

 
Para que?
1- Principalmente para descobrir quais são os melhores caminhos para o crescimento da sua empresa.
2- Facilitar o cálculo de custo com produções;
3- Entender indicadores de composição de preços;
4- Planejar a lucratividade do cardápio;
5- Definir quais ofertas aumentam as margens de lucro.
 
Para quem é direcionado?
– Proprietários de Bares, Restaurantes e afins;
– Gerentes e gestores de Bares, Restaurantes e afins;
– Consultores culinários/gastronômicos.
 
Quanto?
– R$ 750
 
Quantas horas?
– 16hs / 5 módulos (módulos: 5 segundas-feiras de Julho).
 
A continuação infográfico que explica os módulos e o passo a passo do curso:
Yazaki lifestyle - Gestão Inteligente
 
Inscreva-se aqui: CURSO+LUCRO

 

Leia +: Saiba como ajustar investimentos com equipes de trabalho!
 
 

Publicado em

[Escolhas certeiras] Qual é o trabalho de um Chef?

Pesquisa de dados gastronômicos

A tendencia da utilização dos dados chega com tudo ao segmento gastronômico, uma solução antiga, que estava des-utilizada até que começou a revolução digital. Hoje queremos compartilhar com você nosso conhecimento sobre as diferentes qualidades e características necessárias dos Chefs, dentro e fora dos restaurantes, destaca-se no nosso ponto de vista é claro sobre a figura do Chef Executivo por ser ele a pessoa que olha para os números, partindo dessa base para facilitar o crescimento do negócio gastronômico, de forma equilibrada.

Em seguida enumeramos todos os títulos e definições que são do nosso conhecimento para o termo Chef.
 
Chef: é uma palavra em francês que normalmente é entendida como “chefe” ou “líder”, é como “chefe” em português. No entanto, no mundo da gastronomia o termo pode ser confuso de compreender se não estiver acompanhado de um adjetivo explicativo.

 

Chef Executivo
 

1 – Chef Executivo:

Ele esta na parte superior da estrutura da gestão de um restaurante, hotel ou redes de franquias. Se houver um Chef de Cuisine, o Chef Executivo delega apenas para ele, o executivo é geralmente o estrategista. Ele (a) é o líder visionário, responsável por executar tarefas administrativas, conceber idéias de menu com o Chef de Cuisine, controlando custos, orientando o staff de trabalho e potencializando sempre a criação de receitas com padrões benéficos ao negócio.

2- Chef de Cuisine:

Um termo usado nos grandes restaurantes, hotéis ou estabelecimentos com mais de um ponto. Esse “Chef” é o líder da cozinha e muitas vezes do restaurante. Ele não só escolhe o direcionamento e o estilo culinário a ser concebido e apresentado no cardápio, mas muitas vezes o perfil dele é o que vai levar muitas pessoas ao restaurante, no entanto, ele raramente esta de fato na cozinha “cozinhando”.

3 – Head Chef:

Esse é o cargo dado ao Chef Executivo ou Chef de Cuisine de um pequeno estabelecimento. Ele (a) é o responsável pela programação do cardápio, quem fica em ligação com os fornecedores, controla orçamentos e gestão de staff de trabalho. Normalmente não vamos encontrar um Head Chef e um Chef executivo no mesmo estabelecimento.
 
Chef

 

4- Sous Chef:

Traduzindo literalmente significa “Sub Chef”. Eles são os que realmente colocam a mão na massa (literalmente), e fazem o dia a dia da cozinha. Pouco ou nada do seu tempo é no escritório. O papel deles é preparar e montar os pedidos do Chef de Cuisine, garantindo a organização das partidas, o alto padrão de produção e a entrega feita no tempo acordado.

5- Chef de partida:

É o cozinheiro/a encarregado de alguma secção especifica da cozinha, o encarregado das carnes na grelha, ou do wok por exemplo.

6- Pastry Chef:

Encarregado da secção de pastelaria. Ele (a) é o responsável por todas as sobremesas e doces que você encontra em hotéis e restaurantes. Dependendo do tamanho da produção da secção de pastelaria pode existir uma hierarquia própria montada nesta área. Na maioria dos casos, se reporta ao Chef de cuisine.

7- Chef aprendiz:

Eles tecnicamente estão em formação, ainda que realmente o treinamento nunca para, e como todos os Chefs continuam a aprender durante toda a vida. As funções atribuídas vão testar a coragem, vontade assim como a responsabilidade do aprendiz.

 

É provável que alguns dos termos citados acima não sejam aplicáveis a todas as cozinhas. Como você deve imaginar uma cozinha com apenas 3 pessoas na equipe não tem necessidade de um Chef Executivo, um Chefe de Cuisine e um Sous Chef.

 

Nossa intenção é trazer e principalmente dividir nossos conhecimentos da vida prática do dia a dia de um restaurante, embasada na nossa trajetória, lembrando que cada espaço se adequa conforme sua demanda, tamanho e posicionamento.

 
 

E ai, gostou?

Leia +: Por quê bons Bares e Restaurantes nem sempre dão certo?
 

Quanto melhor for a gestão de produção do seu negócio, mais fácil vai resultar a administração. Profissionais e sistemas qualificados fazem a diferença e são a base para o sucesso dos negócios. Você pode testar agora nossas ferramentas de forma exclusiva. É só clicar e responder o formulário +LUCRO (clique aqui)

 

Publicado em

Descubra o preço ideal para cobrar nos produtos do seu Bar ou Restaurante!

preço ideal

Cómo explicamos no post anterior a fixação do markup é uma estratégia essencial que ajuda na descoberta do preço ideal a cobrar nos produtos do seu estabelecimento gastronômico, onde a empresa calcula primeiro o custo direto do produto, para depois adicionar uma margem de contribuição que vai cubrir os demais custos, despesas e lucro, e tudo isso vai beneficiar o crescimento do negócio.

 

Sem markup o que eu faço?

 

Você tem um comércio gastronômico e é você quem controla suas entradas e saídas de dinheiro, mas quanto desse dinheiro é lucro para a empresa? Quanto disso você calcula deixar para uma eventual crise ou mesmo para um momento de alta dos insumos? Quanto você gostaria de deixar para uma futura reforma ou ampliação? Qual o preço ideal a cobrar?

 

Lamentavelmente se você não souber disso, imagino como deve estar se sentido:
“Perdido no deserto, morrendo de sede, com um cubo de gelo na mão.”

 

Qual a margem de lucro líquido no seu restaurante? Esta pergunta estremece 9 em cada 10 donos de estabelecimentos gastronômicos. “Eu sempre sonhei que fosse em torno de 20% da receita” respondeu um cliente semana passada. “Mas esse sonho nunca se concretizou”. Ele, com dor na alma confessou passar por mais de 5 consultorias culinárias e nunca ninguém explicou como chegar nesse sonhado número, apenas no cardápio mais delicioso e não necessariamente no mais rentável para o negócio.

preço ideal

A escolha feita por muitos gerentes experientes é tomar decisões subjetivas, padronizadas, embasadas na intuição: “Coloca 40% de margem de contribuição que esse é o padrão para o segmento de alimentos e bebidas”. Tome cuidado que isto está MUITO ERRADO!!!

 

Outros gestores de restaurantes procuram encontrar a solução mágica num prato que seja o best seller (melhor em vendas), essa é uma questão bem perigosa no segmento gastronômico. Não adianta focar na solução sem entender antes qual o problema a ser resolvido.

 

Problema este que sempre está na raiz dos números que estruturam o negócio. Como assim? Então, só para esclarecer, o markup é um cálculo que junta faturamento, custo dos insumos e mercadorias com despesas operacionais (O que é markup e qual sua importância? leia o post anterior aqui). Sem a relação desses números você nunca descobrirá onde está a falha a ser consertada no seu negócio.

 

Descubra pelos números, por exemplo que um dos maiores problemas no CMV (Custo de Mercadoria Vendida) é o  FC (Fator de Correção) de desperdícios (ler aqui texto explicativo). Por exemplo se o preço do salmão (ex: R$ 40) for acima da média dos demais produtos e tiver um FC de 1,5 você vai estar pagando sem desperdícios R$ 60, será que vale a pena agregar um belo “Escalope de salmão com creme de azedinha” no menu?.

 

preço ideal
Receita: Escalope de salmão com azedinha, de Claude Troisgros.

É importante a reflexão, porque por mais que você venda muito esse prato ele será o que vai mandar a maior parte do lucro do seu negócio para o lixo!

 

Ficou interessado pelo assunto? Clique e cadastre-se – AQUI – em nossa lista de parceiros, vamos lhe proporcionar um teste online e gratuito onde você poderá definir: custo direto com insumos, margem de contribuição e lucro liquido.

Descubra quanto antes qual é o preço ideal a cobrar nos produtos do seu Bar, Padaria ou Restaurante!

(+sugestões) Quer ter um restaurante de sucesso?
Clique aqui e descubra os 8 indicadores mais preciosos!

 

Um Abraço;

Emiliano Machado
Wagner Mattei.

 

Publicado em

Markup para gastronomia: saiba como colocar preços justos para encantar os clientes

markup2

Um preço consistente, criado para o público certo, com os cálculos e indicadores corretos vai gerar mais tesão para você e para os seus clientes.

 

O que é markup?

 

É quando uma empresa produz ou compra um produto a um preço e em seguida vende por um preço maior. Utilizar o markup em produtos produzidos ou comprados é fundamental para gerar lucros. Um estabelecimento gastronômico que vende produtos para cobrir o que eles custam não é nem nunca será um negócio sustentável.

 

Obter lucros é um dos principais objetivos de quem empreende no segmento gastronômico. O difícil na maioria das vezes é encontrar uma margem que seja atrativa para o seu bolso sem que você se distancie dos clientes. Para não errar na conta você tem que saber o que é markup e como ele vai ajudar no desenvolvimento do seu negócio.

 

Não se trata de uma fórmula milagrosa, nada mais é do que um índice aplicado sobre o custo de aquisição e produção de um produto, um cálculo que possibilita a definição dos preços do seu cardápio com maior precisão.

 

Markup1

Markup e seus beneficios!

 

O principal se você já é proprietário de um negócio é que com o índice de markup vai dar pra saber exatamente quanto dinheiro o negócio está gerando, por outro lado este índice vai te mostrar se vale a pena seguir investindo tempo e dinheiro, principalmente para prever se o seu empreendimento vai ter sucesso, ou pra visualizar se você vai virar um escravo do negócio.

 

Outra vantagem é que com esse índice é possível calcular tanto o retorno geral do cardápio como também específico de cada um dos produtos, aprofundando assim, naquilo que é mais ou menos rentável para o negócio.

 

Além disso é possível calcular dois preços diferentes de venda para um mesmo produto que esteja no topo do ranking de markup, por exemplo: para dar mais agilidade ao gerente é interessante formatar um grupo de produtos com descontos para clientes especiais. Com uma tabela atualizada de todos os produtos é possível detectar aqueles que mais convém fazer aquele desconto, seja para uma negociação em grandes quantidades ou para uma ação de marketing por exemplo.

 

Ficou interessado pelo assunto? Cadastre-se na nossa lista de parceiros (acima) que vamos lhe informar quando os novos posts saírem, e assim você poderá ler em primeira mão.

 

(+) Ver próximo post – Descubra o preço ideal para cobrar nos produtos do seu Bar ou Restaurante!

 

Um Abraço;

Emiliano Machado
Wagner Mattei.

 

Publicado em

As 9 leis fundamentais da economia gastronômica

As leis da economia no nosso segmento gastronômico são retas e diretas. Empresas que as reconhecem e respeitam consequentemente enriquecem. Os Bares e restaurantes, supermercados e similares são empresas de alto giro, de entrada e saída contínua de produtos, ali o controle de processos é fundamental, sinão for assim o sonho vai durar tanto quanto a intuição.

 
economia gastronômica

A seguir os 9 pontos fundamentais:

1. Para consumir é necessário antes produzir. A produção com processos assertivos e a verdadeira fonte de riqueza do seu estabelecimento e da economia gastronômica. É sumamente importante criar as condições para que pessoas e empresas possam poupar (reduzir custos) o suficiente para financiar toda a produção e é claro prever como consumi-la no futuro.
 

2. O consumo é o objetivo final da produção. A economia de um restaurante por exemplo depende e muito da sua equipe de trabalho, essas pessoas recebem um salario em troca de sua mão de obra. Se a sua empresa tiver parcerias com outras empresas que beneficiem a sua equipe, possivelmente você estará impulsionando a economia da sua região, e criando assim uma fluides maior para o consumo dos seus produtos pelos funcionários de outras empresas que estão ao redor.

 

3. Não há nada que seja realmente fácil e grátis. Afinal, o certo e que os negócios não funcionam de acordo com sentimentalismos ou pura intuição, os restaurantes funcionam exatamente da mesma forma que qualquer outro setor de serviços na economia, por mais que as pessoas se deixem levar pela emoção ou a querida e esperada “sorte”. Se o cursinho for de graça desconfie, se o seu cliente for a sua família, e se você acredita na máxima “Todo mundo tem que comer”… Pense, nenhum negócio que da certo é tao simplório.

 

4. O valor das coisas é completamente subjetivo. Por exemplo, pense na produção de um par de sapatos que levou 4 horas de trabalho, e na de um bolo levou 2 horas de trabalho para preparar e assar. Então pareceria a simple vista que a “taxa de troca” mais justa entre essas duas mercadorias deveria ser: 1 par de sapatos por 2 bolos. Dessa maneira, 2 produtos seriam trocados a uma taxa que representa quantidades iguais do tempo de trabalho gasto para produzi-los.
Só que não! Tudo depende do grau de importância pessoal (subjetiva) que o consumidor confere ao produto/serviço. Então por essa perspetiva os sapatos e o bolo vão depender do propósito ou desejo de consumo do usuário.

 

5. Sem poupança não há investimento e sem investimento não há acumulação de capital e compra de “bens de capital” (fatores de produção): ferramentas, maquinários, fornos, mesas, cadeiras, panelas, copos, pratos, local, meios de transporte e de comunicação… Eles auxiliam os seres humanos em suas tarefas e, consequentemente, tornam o trabalho humano mais produtivo; sem acumulação de capital não há maior produtividade por consequência não há aumento da renda.

 

6. Gastos são custos; o querer multiplicar a renda implica aumentar proporcionalmente os custos.

 

7. O dinheiro, por si só, não é riqueza. Dinheiro é uma ferramenta de troca; riqueza é abundância de bens e serviços e bem-estar. Só assim você vai conseguir ser “Líder” e não “refém” do seu próprio negocio.

 

8. O trabalho, por si só, não cria valor; para ter valor, um bem produzido tem de ser útil e demandado por consumidores que querem consumi-lo. (relativo ao ponto 4).

 

9. Nos dias de hoje, o lucro econômico é um bônus extra que uma empresa ganha por ter sabido alocar corretamente recursos escassos.

 
 
Depois de ter esses dados você já vai poder desenvolver os principais KPI´S de sucesso que são: MarkUP, Lucratividade de produtos, Break-even e Rentabilidade do negócio.
 
 
E não deixe de entrar no grupo de debate da nossa Liga gastronômica no Facebookse quiser você também pode utilizar a nossa hora de consultoria gratuita via Skype ou whatsapp!
 
 
Como fazer? Fácil só adicionar o Emy Machado e aproveitar.
Contatos – Skype: emi.machado1 – Whatsapp: 48 – 9846 5499

Publicado em

Dez momentos que incitam o ódio nos clientes de restaurantes [+ DICAS]

Clientes de restaurantes

Estavam com saudades da série de dicas sobre planejamento na gastronomia? Hoje descrevemos dez momentos que os clientes de restaurantes mais odeiam. E pra complementar colocamos estes 10 pontos dentro dos 4 pilares que suportam os negócios gastronômicos:

Cardápio – Atendimento – Ambiente – Preço.

 

Alguns pontos despertam o amor e outras o ódio. Mas ok, faz parte. Estamos aqui para falar dos momentos que as pessoas passam mais raiva nos restaurantes.
Claro que não é sempre (ainda bem) mas vira e mexe encontramos reclamações em nossa plataforma de redes sociais, aqui citarei em seguida.

 
clientes de restaurantes
 
+ LEIA MAIS: COMO AUMENTAR AS VENDAS DO SEU RESTAURANTE???
 

ATENDIMENTO:

1 – Essa é das mais comuns. Você senta e fica esperando o garçom aparecer. As vezes demora 5, 10, ou até 15 minutos e nada de surgir alguém para pegar seu pedido. Tem aqueles clientes que se levantam e vão embora. [DICA] Muitas pessoas tem smartphone, se o restaurante estiver lotado o garçom vai demorar mesmo, então coloque a senha do wi-fi num lugar bem visível. Isso vai ajudar a entreter o cliente pelo menos nos primeiros 5min.
2 – Outra clássica. Você faz seu pedido e ele demora hoooooooras. Pior quando vem, e está errado ou quando o cliente pede o prato e a bebida, e chega o prato e nada da bebida. Isso irrita muito. [DICA] Faça um cardápio com boa usabilidade, tanto para o cliente escolher de forma dinâmica, como para o seu garçom ou equipe de cozinha não se confundirem com os nomes dos pratos.
3 – Garçom amigo. O cliente está com muita fome e pede um prato daqueles bem caprichados, ai o garçom quer ser engraçado e sugere que o prato é muito grande para ele, ou pergunta: Você esta com fome? [DICA] Treine sua equipe pra eles chegarem no meio termo. Nem garçom amigão, nem garçom mal humorado..

 

clientes de restaurantes

 

AMBIENTE:

4 – Clientes palitando os dentes? Já viram pessoas reclamando que acham que isso é nojento? É! E tem uns que palitam e ficam sugando o palito (rsrsrs). [DICA] Coloque o paliteiro nos banheiros e/ou na saída do restaurante.
5 – Musica alta em restaurante irrita. Cuidado nos restaurantes com musica ao vivo. [DICA] Para o momento da refeição a música deve ser ambiente, tranquila.
6 – Crianças fazendo bagunça ou chorando dentro dos estabelecimentos incomoda quem tem e quem não tem filhos. Há pessoas com menos paciência e se aborrecem. Isso acaba com a experiência deles no estabelecimento. [DICA] Desenvolva o seu Restaurante, Churrascaria, Sushi, etc; pensando na inserção de adultos e/com crianças ambientando um espaço/atividade dedicada a eles para a melhor experiência de todos.

 

CARDÁPIO:

7 – Mostrar uma coisa nas fotos e entregar outra no prato. Porque obrigar o cliente a pagar por algo que ele não pediu? Exemplo, o cliente pede um prato que parece enorme na foto, e logo vem aquela porção pequena horrível sem graça. Resumindo, não é bom, ele come com ódio, sai com frustrado e depois fica falando mal do restaurante. [DICA] Tire fotos verdadeiras pra colocar no cardápio.
8 – Outra coisa que irrita demais é quando após muita indecisão o cliente escolhe o prato, e logo após é comunicado que não está disponível naquele dia. [DICA] Coloque um aviso no cardápio pedindo desculpas.

 

PREÇO:

9 – Cardápio sem preço, acontece naqueles lugares mais “cool” e o cliente fica tenso! Pode até ser caro e o cliente estar preparado para isso, só que na imaginação tudo fica mil vezes mais caro. [DICA] Se não quiser colocar os preços alinhados na coluna da direita para o cliente escolher o mais barato, coloque como texto corrido depois dos ingredientes.
10 – Erro nas contas e ficar explicando mil vezes o que consumiu ou o que não é extremamente irritante! O cliente perde o maior tempão conversando e tentando provar que não9 – Cardápio sem preço, acontece naqueles lugares mais “cool” e o cliente fica tenso! Pode até ser caro e o cliente estar preparado para isso, só que na imaginação tudo fica mil vezes mais caro. [DICA] Se não quiser colocar os preços alinhados na coluna da direita, coloque como texto corrido depois dos ingredientes.
10 – Erro nas contas e ficar explicando mil vezes o que consumiu é extremamente irritante! O cliente perde o maior tempão conversando e tentando provar que não consumiu aquilo que está na conta… muito chato! [DICA] Organize seu staff de garçons diariamente, direcione que eles se responsabilizem pelo setor designado. Assim cada um vai ser responsável por certo numero de mesas, prestando mais atenção aos pedidos.

 
Listamos 10 coisas depois de analisar monitoramentos e comentários nas redes sociais, mas poderíamos ter escrito mais umas 20! Aqui na Liga gastronômica descobrimos uma em especial que tira o pessoal do sério, mas preferimos nem comentar porque a polêmica vai ser grande (rsrs) Agora fica com vocês, contem pra gente, quais outras coisas vocês sentiram na pele que as pessoas odeiam nos estabelecimentos gastronômicos?
 
 
Não deixe de entrar no grupo de debate da nossa Liga gastronômica no Facebook e se quiser você também pode utilizar a nossa hora de consultoria gratuita via Skype ou whatsapp!
 
Como fazer? Fácil só adicionar o Emy Machado e aproveitar.
Contatos – Skype: emi.machado1 – Whatsapp: 48 – 99846 5499

Publicado em

O valor das novas experiências

Para atender e principalmente SURPREENDER a demanda do novo mundo precisamos desenvolver e sustentar conceitos, propostas e experiências que estejam muito além dos benefícios diretos que os produtos e serviços possam oferecer.

 

Como seria isso?

 

Experiencias: incluir a todos

 

Cuidar das pessoas, em primeira mão esta filosofia quer dizer “incluir a todos”, todas as pessoas que estão a nossa volta devem ser educadas, ajudadas e principalmente VALORIZADAS. Quando conseguimos incluí-las na rotina empresarial, é possível gerar experiências sumamente especiais, personalizadas e memoráveis. Nesse sentido, nos deparamos com todos aqueles que fazem parte do negócio como uma cadeia: desde os colaboradores, fornecedores até o cliente final, os chamados STAKEHOLDERS.

 

Com a alta demanda por mão de obra especializada no setor, atenção à atração e retenção dos profissionais é fundamental. Quando a satisfação e o engajamento de colaboradores e fornecedores é refletido no negócio, gera um alto valor percebido pelos clientes, muito além do básico atendimento. É quando as experiências se transformam em emoções e as emoções em apego e valor pela marca.
 

Fizemos um estudo na região de Florianópolis com o objetivo de entender o reflexo dos serviços prestados em diferentes estabelecimentos:

 

att

 

No momento em que o seu produto “alimentação” passou a ser coadjuvante, você precisa vender experiência. E conforme apontam os dados acima, o consumidor tem pouco ou quase nada a dizer sobre as experiências que tem tido nessa região. Ou seja, passaram desapercebidas.
 

Analisando as informações mais a fundo, nota-se que a excelência está diretamente ligada ao atendimento, mas de todas as formas somente 6% das pessoas que compareceram aos estabelecimentos recomendam o espaço para outras pessoas.
 

De acordo com uma pesquisa realizada pela McKinsey, foi constatado que, após uma fraca experiência do cliente, 89% dos consumidores mudaram para uma empresa concorrente. Por outro lado, 86% disseram que estavam dispostos a pagar mais por uma melhor experiência. “Esses consumidores hipercríticos e exigentes somente podem ser satisfeitos por empresas que colocam seus colaboradores mais capacitados e proativos na linha de frente” diz Salim Ismail – fundador da Singularity University.
 

Mas como isso pode ser medido ou visto na pratica?

 

Um grande exemplo de ação que ilustra essa relação de amor entre cliente-estabelecimento aonde a conexão entre pessoas com o mesmo interesse se confluem num único ambiente: “Meet me at Starbucks”.

 


 

Como resultado de uma cadeia sustentada no bem estar de ponta a ponta com comprometimento, transparência e foco nos resultados, está o valor gerado para o cliente que interpreta que o seu ambiente é muito maior do que um local de refeição. Quando ele o associa com bem estar e o referencia como ponto de encontro numa reunião de interesses, é a maior prova que a semente foi plantada e quem cresce é a sua marca.
 

Como a Yazaki Lifestyle favorece esse ciclo??? (leia +)

 

No proximo post falaremos sobre outros exemplos de ações que aproximam o seu negócio às ansiedades e expectativas do seu cliente.

 

Até la!!! 🙂
 
 

Publicado em

Mulheres – Design – Gastronomia

O assunto de hoje é uma discussão bacana na nossa rede sobre como as mulheres geram um posicionamento essencial dentro de uma empresa moderna.

 
Deem uma olhada:
 
As mulheres são geneticamente arraigadas a serem múltiplas. Na antigüidade elas cuidavam da agricultura por exemplo e em alguns lugares eram caçadoras, porém sem perder seu lado carinhoso, sensível e dispostas a compartilharem.
 
O caminho do “empreender”, como conhecemos hoje, foi tomado por muitas mulheres sempre, só que hoje deixamos de ver de forma emotiva. Em tempos modernos elas conseguem visualizar o todo, números e metas, sem perder sua genuinidade seguem sendo múltiplas.
 
As mulheres atuam ativamente em todos os campos e segmentos da sociedade, e por sorte seguem mantendo a mesma genética de sempre.
 

Sabe aquelas mulheres incríveis que fazem o possível e o impossível para melhorar o mundo?

 
Artista: Fernanda Brocatto
 
Então, aqui na YAZAKI Lifestyle temos uma dessas mulheres maravilhosas. É a Fernanda Brocatto, designer estratégica e sócia da empresa. Ela está realizando e projetando constantemente, com seu estilo irado e com muita desenvoltura vem criando nossas metodologias e processos em todos os âmbitos do negócio.
 
 
Aonde entra o design estratégico?
 

Mulheres no design estratégico

 

É justamente na visualização macro do negócio, na composição e aplicação dos princípios de design, uma abordagem dos desafios de forma criativa a fim de aumentar as qualidades inovadoras e competitivas de uma organização.

 
A necessidade de profissionais multidisciplinares é essencial para o futuro e desenvolvimento de um mundo mais equilibrado, de negócios mais transparentes e voltados para as pessoas. Na analise do ecossistema gastronômico precisamos cruzar diferentes culturas, pensamentos e pontos de vista para chegar a obter insights e oportunidades que abarquem um amplo grau de assertividades.
Vamos junto?
 
Fernanda Brocatto
 

Fernanda Brocatto é Designer de produto com especialização em design estratégico.
fersandin2@gmail.com

 
 


 
 
[btnsx id=”1821″]