Publicado em

Crie um clube fidelidade, seus clientes querem viver momentos exclusivos com você

Clube Fidelidade - Yazaki lifestyle

Os clubes de fidelidade para restaurantes estão crescendo exponencialmente no mercado FOODSERVICE. Eles são uma excelente proposta para bares, cafeterias, hamburguerias, padarias, confeitarias, e afins. A hora de começar a investir nessa prática e sair na frente dos seus concorrentes é agora. Continue lendo o post e saiba mais!

Clube fidelidade - Yazaki lifestyle

Resultados rápidos:

Os estabelecimentos de alimentação fora do lar costumam ter alta taxa de retorno de clientes. No ramo da gastronomia diferente a outros negócios relacionados ao varejo os consumidores potenciais podem consumir seus produtos diariamente.

Custo Baixo:

No ramo gastronômico as recompensas costumam envolver produtos manufaturados no estabelecimento, com maior margem de lucro, sendo muito viável recompensar um cliente fiel sem comprometer a lucratividade. Além de ter custo atrativo Implantar um programa de fidelidade para bares e restaurantes otimiza o investimento em marketing de relacionamento.

Engajamento de clientes:

No caso do “Clube Confiance” (nosso programa de fidelidade) o engajamento e aumento de clientes acontece mais rápido. Os convites e recomendações de cadastros para novos integrantes do clube também são recompensados. O resultado é um conhecimento/engajamento profundo dos grupos de clientes, possibilitando o aumento das vendas em momentos específicos como: aniversários, feriados, festas empresariais, eventos exclusivos.

A criação de um plano estratégico envolvendo grupos de confiança permite desenvolver ações direcionadas para públicos específicos e segmentados.

 

Principal vantagem:

Hoje existe uma forte concorrência no mercado. Cada vez surgem mais e mais empreendimentos e a oferta de produtos, serviços e preços acabam por ser repetitivas para os clientes. Em momentos assim o clube de fidelidade passa a ser um serviço considerado pelos clientes. Ao oferecer vantagens e estimular o relacionamento as chances do cliente recomendar o seu negócio aumentam consideravelmente.

 

Atualmente é muito rápido e acessível colocar em prática um clube de fidelidade. Coloque seus clientes num programa de confiança, eles querem viver momentos exclusivos com você.

Empresas que queiram investir em uma solução prática para fidelizar seus clientes podem contratar os serviços de uma equipe especializada em criar fidelidade e confiança como é o nosso caso aqui na Yazaki lifestyle .

Publicado em

Como funciona o Marketing da abundância nos bares e restaurantes?

Yazaki lifestyle Marketing da abundância

Tenho fé em que você chegou até aqui porque esta procurando abundância nos negócios. Uma das coisas que mais tem nos afetado como sociedade nos últimos tempos é acreditar que pra que alguém ganhe, outro deve perder. Que tudo existe em quantidades limitadas, e que a única forma de termos um pedaço da pizza é pegando a porção de outra pessoa.

 

Isto nos leva aos extremos, acreditamos que existe uma quantidade de sucesso disponível, de dinheiro disponível, de casas, comida, bebida, etc.

 

A verdade é que o mundo esta cheio de abundância, tem muito de tudo para todos, e se qualquer coisa acabar hoje, amanhã vamos dar um jeito de fazer ou encontrar mais. Obviamente estamos nos referindo a bens de consumo. É claro que existem indivíduos únicos, se perdermos algum familiar por exemplo não podemos ir na loja comprar outro.

 

Os paradigmas:

 

Eles são uma imagem mental de algo externo que nós absorvemos como um fato. Por exemplo a maioria das pessoas mundo afora esperam que todo brasileiro jogue futebol. Mas no Brasil existem pelo menos 10 esportes que em somatória superam a quantidade de pessoas que praticam futebol.

 

Sou gastrônomo, minha formação é de gestor gastronômico, desenvolvo negócios. O seu negócio (bar, restaurante ou afim) depende de gestão. O serviço hoteleiro e a administração de conflitos em equipes de trabalho precisam de gestão. O lucro é o resultado da gestão. Mas minha mãe acredita que sou Chef de cozinha. Quando expliquei a ela o que faço ela ficou pensando e falou “mas você poderia cozinhar nos lugares aonde você trabalha”, ou você poderia se dedicar a dar aulas de cozinha, e assim trabalhar mais confortável. Minha mãe esta convencida que eu me especializo em cozinhar os produtos que são elaborados em restaurantes, e não existe ninguém que a faça entender que essa não é a maneira como ganho a vida.

 

Emfim, temos muitos paradigmas. Alguns foram colocados pelos nossos pais, outros pela vida.

 

“Os ricos são ricos porque roubam”;
“Se alguém ganha, outro vai ter que perder”;
“Todos os homens são iguais”;
“Todas as mulheres são assim”

 

O paradigma da escassez:

 

Nasce da ideia que se eu ganho você perde (ou ao contrário).
Seus pais comparavam você com outras crianças, com seus irmãos, ou outros familiares? Lembra que dependendo do teor da comparação você iria ficar sem algo que você queria?

 

A escola ainda pode reforçar essa ideia. Alguns sistemas se embasam em notas por escala. O que mais nota tira, é o que respondeu maior número de perguntas. Não se é bom por saber muito, um é bom porque os outros são ruins.

 

Assim chegamos na idade adulta esperando que cada vez que alguém ganha tem outro que perde.

 

Mas a vida não é uma concorrência desleal.

 

Nos esportes umas equipes tem que ser melhores do que outras, essas são as regras do jogo. Mas a vida não é uma concorrência. Precisamos concorrer com nossos colegas de equipe? Com nossos fornecedores? Com nossos vizinhos? Com os amigos? E necessário brigar com nossos clientes?

 

Na maioria dos casos da vida, se não estamos ganhando todos, é porque estamos perdendo. Você  se imagina competindo com seu(s) sócio(s)?

 

A regra é clara se 2 ou mais não estão ganhando, definitivamente é porque estão perdendo.

 

Pensando na abundância e no ganha/ganha:

 

Quando existem conflitos de interesses é difícil que 2 pessoas ganhem. Isto requer que ambos pensem em uma terceira alternativa. Em geral, em momentos de luta, cada um pensa no que quer, no desejo de terminar a disputa. Que pode ser ganhando ou perdendo, mas poucas vezes se pensa em como ambos podem sair beneficiados.

 

Hoje em centenas de cidades pelo mundo existe a briga de taxistas com os apps de transporte (uber, cabify, 99…) Os taxistas esperam que o estado proíba “esses apps ilegais” porque elas tiram seu trabalho. Mas ninguém esta se preocupando por formar uma parceria melhor. E a realidade é que ambos, motoristas e usuários buscam o mesmo: seu sustento.

 

Você se imagina ganhando em conjunto?
Se for assim comece a desenhar hoje mesmo seu ecossistema de negócios e visualize como todos podem sair ganhando com essas ações coletivas.

 

Espero ter ajudado você a refletir sobre a abundância que existe em nosso mercado de FOODSERVICE. Sei que você deve ter algumas objeções, ou sugestões, se quiser pode nos enviar um e-mail (contato@yazakilifestyle) e pensaremos na abundância dessa nossa parceria.

+ SAIBA MAIS: COMO CALCULAR O CUSTO IDEAL DOS INSUMOS?
 
Não deixe de entrar no grupo de debate da Liga gastronômica no Facebook, você também pode se cadastrar – AQUI – em nossa lista de parceiros, vamos lhe proporcionar um diagnóstico que vai descobrir como esta seu negócio perante o mercado.
 
 
Abraços!
Emiliano Machado

Publicado em

Quando contratar uma consultoria de negócios para gastronomia?

consultoria de negócios yazaki lifestyle

Uma questão que sempre gera dúvidas em nossos clientes é o momento quando deve ser contratada uma consultoria de negócios no segmento da gastronomia.
 
Nós acreditamos que um empreendimento de sucesso precisa ter uma boa culinária, uma ótima gestão, e sobretudo, deve ser LUCRATIVO. Mas na verdade para explicar quando deve ser contratada uma consultoria de negócios precisamos falar sobre os diferentes tipos existentes…

Qual bar ou restaurante tem os produtos mais comerciais? Qual ganhou mais prêmios da revista VEJA? Qual “Chef” tem mais anos cozinhando?.   Esses prêmios, ou todos esses anos de experiência na cozinha nem sempre trazem retornos econômicos positivos para o seu negócio ou são indicativos de rentabilidade.   Existe certeza matemática na relação entre o menu de produtos/serviços, com a produtividade da equipe, com o nicho de clientes, com o propósito da sua empresa e o faturamento.   Trabalho com gastronomia faz tempo, e a pergunta que mais ouço dos clientes é: como criar negócios gastronômicos altamente rentáveis?  

informações valiosas!

Acima de tudo, os estabelecimentos que fazem sucesso, acompanham fielmente os números utilizando de painéis de resultados para controlar e guiar o fluxo dos lucros da empresa
APP+LUCRO1
App+LUCRO
APP+LUCRO2
App+LUCRO2
APP+LUCRO3
App+LUCRO3

Para o gestor, é uma ferramenta de gerência excelente. Isso porque os dados revelam o melhor caminho a seguir a partir das avaliações e comparativos das unidades do negócio.

 

Mas afinal, existe uma consultoria de dados?
Sim! Orientada à tomada de decisões, embasada em números históricos de diversas fontes este tipo de consultoria de negócios cria modelos e aprendizados de inteligência para chegar a resultados altamente relevantes, descobrindo cenários que o humano não consegue ver.

 
Já falamos bastante, não adianta desenvolver produtos atrativos, fieis as ultimas tendências se eles não formam no cardápio um mix lucrativo, que empodere a empresa e ao mesmo tempo a experiência do cliente. Por exemplo: se os clientes que interagem com todo esse e mix de produtos não atendem a meta de ticket médio do negócio para chegar no ponto de equilíbrio, essa pode ser uma razão de quebra!
 
Você pode estar considerando solicitar algum desses tipos de consultoria de negócios. Basta definir qual é sua necessidade, observando no seu negócio qual é a real demanda a ser atendida (mix de sabores, entendimento das finanças ou lucro). Tudo isso deve ser feito de maneira personalizada, com dicas baseadas no seu público-alvo em sua concorrência e no histórico do seu estabelecimento.
 
E então, gostou do texto? Se você quer melhorar a performance e aumentar o lucro do seu negócio, não deixe de se cadastrar AQUI pra ganhar um diagnostico gratuito do APP +LUCRO!

Publicado em

[Tendência] No escritório, no Café, no Bar, ou no Restaurante…

tendência - yazaki lifestyle

Tendência: Quando as fronteiras do trabalho transcendem os escritórios comerciais, o que a gastronomia tem a ver?

 

Essa foi a discussão que aproximou a Vibbra!, um marketplace de desenvolvimento de software, da Yazaki lifestyle, consultoria de dados para gastronomia (clique e saiba +).

 


Trabalho remoto

No último ano, de acordo com uma pesquisa elaborada com mais de 15.000 adultos empregados nos Estados Unidos (NYtimes), 43%  confirmaram utilizar algum tempo para trabalhar remotamente (que significa trabalhar fora do prédio onde a empresa contratante está situada). Empregadores e empregados apontaram que o trabalho remoto complementa a estrutura convencional de trabalho, aumentando a produtividade e ajudando a reduzir o distanciamento de gêneros. Ao mesmo tempo, na União Europeia uma média de 17% dos trabalhadores estão envolvidos com algum tipo de trabalho do mesmo estilo.

 

Visto que existe uma forte tendência de que os escritórios convencionais não existam mais, o work remote vem se popularizando. Em contrapartida, segundo pesquisas elaboradas pela Vibbra! o sentimento mais citado pelos vibbrantes, como desvantagem do trabalho remoto é o isolamento, como falta de contato com pessoas e com o mundo. O home-office (trabalho em casa) facilita a vida dos trabalhadores por economizar horas de trânsito e trajes de trabalho, mas não substitui a vivência e a busca por novidades.

 

Espaços de trabalho com fileiras de mesas, como as conhecemos hoje, serão completamente redundantes. Não porque não sejam adequados, mas simplesmente porque essa finalidade não existirá mais.”  (dados do relatório: Forward 2030: The Future of Work and the Workplace)

tendência - yazaki lifestyle

 


Onde estão os workers

Com o advento da internet disponível em todo lugar, aliada aos gadgets como tablets e celulares conectados, trabalha-se no avião, no táxi, nas sala de espera, no co-working e hoje em dia é tendência a busca por cafés, bares e restaurantes como local de trabalho, um costume já popular em diversos países, e em pleno crescimento no Brasil.

O que faz um worker sair da sua casa para ir trabalhar em um café?

 

O escritório foi substituído, porém ainda existe a necessidade de relação com o mundo e com as pessoas, é aí onde se espera que o estabelecimento forneça novas experiências, conforto, amabilidade e conexão.

 

Quando um cliente vai a um café simplesmente para usar o seu notebook, smartphone, ou para uma reunião de negócios, ele é um usuário em potencial que pode ficar familiarizado e se tornar num rotineiro influenciador, com a capacidade de engajar novos consumidores, sejam eles turistas buscando um ponto de apoio para contato com seus familiares ou trabalhadores remotos em busca da união do conforto de casa com o movimento dos escritórios.

 

tendência 2 - Yazaki lifestyle

 

Comunidade de redes sociais

O local escolhido pode representar o porto seguro deste trabalhador! Então quando as expectativas não são atendidas toda a rede é alertada e vem à tona transformando uma experiência, antes individual e presenteísta, em comunitária, com impacto amplo e duradouro.

 

Público alvo

Estes comportamentos precisam ser previstos, pois a equipe de trabalho tem que ser cuidadosa em abordar este cliente especial. Quando, por exemplo, o cliente opta por trabalhar em um café, ele não está ali somente para consumir um café com um pedaço de bolo, a tendência aponta que entre outros benefícios ele quer usar a internet, conversar com o garçom, usar tomadas, o banheiro, etc.

 

Essa identificação é essencial para o contexto do estabelecimento, e formas de tratamento personalizadas remetem justamente aquela necessidade de pertencimento, engajando o cliente a consumir mais (é uma ótima oportunidade para criar combos de produtos e incentivar o consumo. Leia+ a respeito) e principalmente voltar e influenciar outros próximos clientes. É aí que todo mundo ganha.



E para você, como deveria ser o seu escritório no mundo?

 

 

Para saber mais:

Relatório OIT Eurofound 

Geração Y e mercado de trabalho, um estudo comparativo entre gerações
Forward 2030: The Future of Work and the Workplace

Publicado em

[Escolhas certeiras] Qual é o trabalho de um Chef?

Pesquisa de dados gastronômicos

A tendencia da utilização dos dados chega com tudo ao segmento gastronômico, uma solução antiga, que estava des-utilizada até que começou a revolução digital. Hoje queremos compartilhar com você nosso conhecimento sobre as diferentes qualidades e características necessárias dos Chefs, dentro e fora dos restaurantes, destaca-se no nosso ponto de vista é claro sobre a figura do Chef Executivo por ser ele a pessoa que olha para os números, partindo dessa base para facilitar o crescimento do negócio gastronômico, de forma equilibrada.

Em seguida enumeramos todos os títulos e definições que são do nosso conhecimento para o termo Chef.
 
Chef: é uma palavra em francês que normalmente é entendida como “chefe” ou “líder”, é como “chefe” em português. No entanto, no mundo da gastronomia o termo pode ser confuso de compreender se não estiver acompanhado de um adjetivo explicativo.

 

Chef Executivo
 

1 – Chef Executivo:

Ele esta na parte superior da estrutura da gestão de um restaurante, hotel ou redes de franquias. Se houver um Chef de Cuisine, o Chef Executivo delega apenas para ele, o executivo é geralmente o estrategista. Ele (a) é o líder visionário, responsável por executar tarefas administrativas, conceber idéias de menu com o Chef de Cuisine, controlando custos, orientando o staff de trabalho e potencializando sempre a criação de receitas com padrões benéficos ao negócio.

2- Chef de Cuisine:

Um termo usado nos grandes restaurantes, hotéis ou estabelecimentos com mais de um ponto. Esse “Chef” é o líder da cozinha e muitas vezes do restaurante. Ele não só escolhe o direcionamento e o estilo culinário a ser concebido e apresentado no cardápio, mas muitas vezes o perfil dele é o que vai levar muitas pessoas ao restaurante, no entanto, ele raramente esta de fato na cozinha “cozinhando”.

3 – Head Chef:

Esse é o cargo dado ao Chef Executivo ou Chef de Cuisine de um pequeno estabelecimento. Ele (a) é o responsável pela programação do cardápio, quem fica em ligação com os fornecedores, controla orçamentos e gestão de staff de trabalho. Normalmente não vamos encontrar um Head Chef e um Chef executivo no mesmo estabelecimento.
 
Chef

 

4- Sous Chef:

Traduzindo literalmente significa “Sub Chef”. Eles são os que realmente colocam a mão na massa (literalmente), e fazem o dia a dia da cozinha. Pouco ou nada do seu tempo é no escritório. O papel deles é preparar e montar os pedidos do Chef de Cuisine, garantindo a organização das partidas, o alto padrão de produção e a entrega feita no tempo acordado.

5- Chef de partida:

É o cozinheiro/a encarregado de alguma secção especifica da cozinha, o encarregado das carnes na grelha, ou do wok por exemplo.

6- Pastry Chef:

Encarregado da secção de pastelaria. Ele (a) é o responsável por todas as sobremesas e doces que você encontra em hotéis e restaurantes. Dependendo do tamanho da produção da secção de pastelaria pode existir uma hierarquia própria montada nesta área. Na maioria dos casos, se reporta ao Chef de cuisine.

7- Chef aprendiz:

Eles tecnicamente estão em formação, ainda que realmente o treinamento nunca para, e como todos os Chefs continuam a aprender durante toda a vida. As funções atribuídas vão testar a coragem, vontade assim como a responsabilidade do aprendiz.

 

É provável que alguns dos termos citados acima não sejam aplicáveis a todas as cozinhas. Como você deve imaginar uma cozinha com apenas 3 pessoas na equipe não tem necessidade de um Chef Executivo, um Chefe de Cuisine e um Sous Chef.

 

Nossa intenção é trazer e principalmente dividir nossos conhecimentos da vida prática do dia a dia de um restaurante, embasada na nossa trajetória, lembrando que cada espaço se adequa conforme sua demanda, tamanho e posicionamento.

 
 

E ai, gostou?

Leia +: Por quê bons Bares e Restaurantes nem sempre dão certo?
 

Quanto melhor for a gestão de produção do seu negócio, mais fácil vai resultar a administração. Profissionais e sistemas qualificados fazem a diferença e são a base para o sucesso dos negócios. Você pode testar agora nossas ferramentas de forma exclusiva. É só clicar e responder o formulário +LUCRO (clique aqui)

 

Publicado em

As 5 grandes chaves para o sucesso do seu negócio!

menu analytics

Temos diante de nós um grande desafio. Temos diante de nós um cardápio de produtos para vender, um negócio para fazer acontecer, muitas horas de trabalho, de empenho e de preocupação.

Faz vários posts que você deve estar se perguntando, qual é o nosso objetivo? Eu posso responder em uma palavra: União para o sucesso, a todo custo, apesar de todos os contratempos, união, por mais longa e dura que seja a estrada; Pois sem ela, não há sobrevivência.
É o nosso negócio? O nosso negócio é o seu sucesso!

Aqui falamos das dicas, aquelas que quando colocadas em prática permitem ao empreendedor crescer gradativamente em estabelecimentos como Bares, Restaurantes. Um excelente cardápio só se consegue com um bom Menu Analytics (analise de cardápios); Controlando estoque, produção e vendas.

Encima desses dados vamos calcular os principais indicadores para o sucesso do seu bar ou restaurante, sempre focados em empoderar e agregar valor ao principal recurso de vendas, o “cardápio”.

“A sorte não é um bom plano de negócios.” Anthony Bourdain

5 chaves do negócio

A seguir as 5 chaves mais importantes que você vai obter analisando seu cardápio detalhadamente.

1 – Descubra as margens de contribuição:
Um dos indicadores administrativo-financeiros mais importantes que sua empresa vai ter e que deve ser analisado sempre. Com base nele você vai calcular a quantidade mínima de produtos que precisará vender para se sustentar.

2 – Equilibre o negócio!

Sabendo onde está o lucro você vai visualizar quantos clientes tem que atender e quanta mercadoria vai precisar para chegar ao ponto de equilíbrio (break-even). Um dos maiores riscos que se corre neste segmento é gastar demais na hora de comprar e depois não conseguir vender o necessário para cobrir os custos e gerar lucros. Já aconteceu com você?

3 – Precificação:
Saber qual o valor ideal para colocar preço nos produtos é um privilégio que você vai descobrir depois de fazer os controles de estoque, produção, vendas e entender a absorção dos públicos alvo. Desse compilado de informações depende a fluidez do seu negócio. Produzir de forma assertiva e de acordo com a demanda de mercado permite otimizar stock de giro, de quebra possibilita manter um Staff de colaboradores informados e concentrados sobre quais são as tendências de consumo dos clientes.

4 – Quanto do seu dinheiro está indo para o lixo?
Com o fator de correção além de ajustar as compras você pode fazer um ranking dos produtos que geram maior desperdício no seu negócio, e assim você vai reduzir esse gargalo.

+ LEIA MAIS: Porquê bons Bares e Restaurantes nem sempre dão certo?

5 – Prioridades e Metas na produção:
Ao quantificar custo direto e tempos de trabalho com elaborações na sua cozinha você vai avaliar o custo das mercadorias vendidas e os tempos reais de produção, só ai você vai descobrir se a equipe é eficiente para produzir num tempo rentável que esteja perto do ideal.

Então, agora você já sabe quais são as chaves da vitória! O que achou?

Não deixe de entrar no grupo de debate da nossa Liga gastronômica no Facebook, e se quiser você também pode se cadastrar – AQUI – em nossa lista de parceiros, vamos lhe proporcionar um teste online e gratuito onde você poderá definir: custo direto com insumos, margem de contribuição e lucro liquido.

Um Abraço;

Emiliano Machado
Wagner Mattei.

 

Publicado em

Markup para gastronomia: saiba como colocar preços justos para encantar os clientes

markup2

Um preço consistente, criado para o público certo, com os cálculos e indicadores corretos vai gerar mais tesão para você e para os seus clientes.

 

O que é markup?

 

É quando uma empresa produz ou compra um produto a um preço e em seguida vende por um preço maior. Utilizar o markup em produtos produzidos ou comprados é fundamental para gerar lucros. Um estabelecimento gastronômico que vende produtos para cobrir o que eles custam não é nem nunca será um negócio sustentável.

 

Obter lucros é um dos principais objetivos de quem empreende no segmento gastronômico. O difícil na maioria das vezes é encontrar uma margem que seja atrativa para o seu bolso sem que você se distancie dos clientes. Para não errar na conta você tem que saber o que é markup e como ele vai ajudar no desenvolvimento do seu negócio.

 

Não se trata de uma fórmula milagrosa, nada mais é do que um índice aplicado sobre o custo de aquisição e produção de um produto, um cálculo que possibilita a definição dos preços do seu cardápio com maior precisão.

 

Markup1

Markup e seus beneficios!

 

O principal se você já é proprietário de um negócio é que com o índice de markup vai dar pra saber exatamente quanto dinheiro o negócio está gerando, por outro lado este índice vai te mostrar se vale a pena seguir investindo tempo e dinheiro, principalmente para prever se o seu empreendimento vai ter sucesso, ou pra visualizar se você vai virar um escravo do negócio.

 

Outra vantagem é que com esse índice é possível calcular tanto o retorno geral do cardápio como também específico de cada um dos produtos, aprofundando assim, naquilo que é mais ou menos rentável para o negócio.

 

Além disso é possível calcular dois preços diferentes de venda para um mesmo produto que esteja no topo do ranking de markup, por exemplo: para dar mais agilidade ao gerente é interessante formatar um grupo de produtos com descontos para clientes especiais. Com uma tabela atualizada de todos os produtos é possível detectar aqueles que mais convém fazer aquele desconto, seja para uma negociação em grandes quantidades ou para uma ação de marketing por exemplo.

 

Ficou interessado pelo assunto? Cadastre-se na nossa lista de parceiros (acima) que vamos lhe informar quando os novos posts saírem, e assim você poderá ler em primeira mão.

 

(+) Ver próximo post – Descubra o preço ideal para cobrar nos produtos do seu Bar ou Restaurante!

 

Um Abraço;

Emiliano Machado
Wagner Mattei.

 

Publicado em

8 indicadores para que seu restaurante nunca entre no vermelho

Administrar um estabelecimento gastronômico muitas vezes é colocado em segundo plano devido a grande porção de tempo que o gestor precisa utilizar no operacional. Sem tempo para dedicar a gestão e a estratégia, muitas vezes as necessidades beiram o caos, e claro tudo vai depender da sensibilidade do gestor em relação ao seu negócio e com os indicadores de custos, estoques, vendas, lucros, etc.

 

A utilização de indicadores e “dashboards” (painéis de controle) pode ser o elo que falta para o gestor tomar decisões assertivas, mesmo sem tempo para avaliar os dados e números de seu negócio.

 

Pense em seu negócio como um carro. Quando dirigimos precisamos dirigir, cuidar dos passageiros, dos pedestres e dos demais veículos. O painel do carro, nos dá informações valiosas sobre o veículo, sem precisar aprofundar no analítico.

 

Por exemplo: não precisamos saber que tem exatos 2,5 litros de gasolina no tanque, a simples informação da luz da reserva indica que daqui a pouco temos que parar num posto de gasolina pra colocar mais combustível, ou o carro vai parar. O símbolo do Óleo, do Abs ou da temperatura do motor, nos indica que precisamos ir no mecânico.

indicadores gastronomia

A velocidade do carro combinado com um indicador externo, que é a placa de velocidade limite, nos dá informações se devemos diminuir a velocidade ou não.

 

Agora imagine-se dirigindo, quero dizer, administrando seu negócio da mesma forma, através de luzes, semáforos, velocímetros, gráficos, indicadores dentro de um grande painel, você poderia tomar decisões de forma mais rápida e prática?

indicadores gastronomia 2

Se você concordou com a questão acima, parabéns! Você é um gestor que busca modernizar sua gestão, mesmo sem tempo para isso. Mas para você usufruir deste dashboard na sua tomada de decisão é preciso conhecer os pontos que lhe darão as respostas para suas perguntas.
 
Nossa equipe separou 8 indicadores cruciais para você colocar no seu dashboard e pilotar seu negócio de forma rápida e segura (indicador é uma forma de visualizar informações).
 

1- Percentual de Custo com mercadorias vendidas: CMV (relação entre CMV e faturamento);
2- Índice de Markup (relação entre CMV, custo fixo, despesas variáveis, lucro liquido e valor de venda por produto);
3- Gráfico de Fluxo clientes (relação da quantidade de clientes em diferentes períodos);
4- Gráfico de Ticket médio (relação entre faturamento e número de vendas em diferentes períodos);
5- Indicador de ROI com funcionários (relação entre investimento em equipe de trabalho e faturamento);
6- Índice de faturamento per-capta com funcionários (relação entre faturamento e quantidade de funcionários);
7- Índice de lucratividade (percentual entre lucro líquido e faturamento);

8- Índice global de saúde do negócio (relação mensal entre os outros 7 indicadores principais).
 
No decorrer dos próximos dias, nós iremos falar sobre estes e outros indicadores, e como eles podem melhoras seus resultados.
 
(+) Ver próximo post – Como colocar preços justos para encantar os clientes?

 
Se você já usa indicadores, ou conhece alguns que gostaria de usar, compartilhe nos comentários para que possamos aprender juntos sobre o assunto.
 
Ficou interessado pelo assunto, cadastre-se na nossa lista de parceiros (acima) que vamos lhe informar quando os novos post saírem, e assim você poderá ler em primeira mão.
 
(+sugestões) Quer montar uma rede de restaurantes?
Clique aqui e veja o que nossos parceiros do Groomer tem pra você!

 
 
Um Abraço;
 
Emiliano Machado
Wagner Mattei.
 

Publicado em

[+Lucro] 3 Razões fundamentais para usar Fichas Técnicas

Quanto maior for a precisão de cálculo das suas fichas técnicas mais fácil vai ficar a administração. Essa ferramenta inteligente é a base do sucesso dos negócios gastronômicos.

 
ficha tecnica
 
1) Cálculo de produções: Eu antigamente perdia 1 dia inteiro para calcular a compra das matérias primas semanais. Hoje uso o sistema de cálculo com Fichas Técnicas que me permite relacionar a quantidade de insumos por produtos com a meta de compra dos meus clientes. Obtenho assim as quantidades ideais de matéria prima que vou precisar comprar para produzir no período de tempo desejado. Resultado: menos desperdício.
 
2) Programa de custos: Permite por exemplo localizar os melhores custos para todos os insumos que compõem o catalogo de compras do meu estabelecimento. Resultado: otimizar o CMV.
 
3) Sistema de compras: Combinando listas de insumos com custos posso traçar a minha melhor rota de compras semanalmente. Resultado: potencializar o tempo.
 
Ser mais assertivos e calcular o cardápio é fundamental para que possamos otimizar os custos e reduzir perdas. Quando as compras são embasadas em fichas técnicas e histórico de vendas o lucro só tende a crescer, no mínimo um 10% ao mês.
 
E lembre-se que o trabalho por si só não cria valor, para ter valor um bem produzido tem de ser útil e demandado por consumidores que voluntariamente querem consumi-lo. Leia os hábitos e desejos de consumo dos seus potenciais clientes.
 
 
E ai, gostou?
 
 
Você pode utilizar a nossa ferramenta de forma exclusiva por 3 meses, é só clicar e responder o formulário +LUCRO (clique aqui)

 

Publicado em

Dez momentos que incitam o ódio nos clientes de restaurantes [+ DICAS]

Clientes de restaurantes

Estavam com saudades da série de dicas sobre planejamento na gastronomia? Hoje descrevemos dez momentos que os clientes de restaurantes mais odeiam. E pra complementar colocamos estes 10 pontos dentro dos 4 pilares que suportam os negócios gastronômicos:

Cardápio – Atendimento – Ambiente – Preço.

 

Alguns pontos despertam o amor e outras o ódio. Mas ok, faz parte. Estamos aqui para falar dos momentos que as pessoas passam mais raiva nos restaurantes.
Claro que não é sempre (ainda bem) mas vira e mexe encontramos reclamações em nossa plataforma de redes sociais, aqui citarei em seguida.

 
clientes de restaurantes
 
+ LEIA MAIS: COMO AUMENTAR AS VENDAS DO SEU RESTAURANTE???
 

ATENDIMENTO:

1 – Essa é das mais comuns. Você senta e fica esperando o garçom aparecer. As vezes demora 5, 10, ou até 15 minutos e nada de surgir alguém para pegar seu pedido. Tem aqueles clientes que se levantam e vão embora. [DICA] Muitas pessoas tem smartphone, se o restaurante estiver lotado o garçom vai demorar mesmo, então coloque a senha do wi-fi num lugar bem visível. Isso vai ajudar a entreter o cliente pelo menos nos primeiros 5min.
2 – Outra clássica. Você faz seu pedido e ele demora hoooooooras. Pior quando vem, e está errado ou quando o cliente pede o prato e a bebida, e chega o prato e nada da bebida. Isso irrita muito. [DICA] Faça um cardápio com boa usabilidade, tanto para o cliente escolher de forma dinâmica, como para o seu garçom ou equipe de cozinha não se confundirem com os nomes dos pratos.
3 – Garçom amigo. O cliente está com muita fome e pede um prato daqueles bem caprichados, ai o garçom quer ser engraçado e sugere que o prato é muito grande para ele, ou pergunta: Você esta com fome? [DICA] Treine sua equipe pra eles chegarem no meio termo. Nem garçom amigão, nem garçom mal humorado..

 

clientes de restaurantes

 

AMBIENTE:

4 – Clientes palitando os dentes? Já viram pessoas reclamando que acham que isso é nojento? É! E tem uns que palitam e ficam sugando o palito (rsrsrs). [DICA] Coloque o paliteiro nos banheiros e/ou na saída do restaurante.
5 – Musica alta em restaurante irrita. Cuidado nos restaurantes com musica ao vivo. [DICA] Para o momento da refeição a música deve ser ambiente, tranquila.
6 – Crianças fazendo bagunça ou chorando dentro dos estabelecimentos incomoda quem tem e quem não tem filhos. Há pessoas com menos paciência e se aborrecem. Isso acaba com a experiência deles no estabelecimento. [DICA] Desenvolva o seu Restaurante, Churrascaria, Sushi, etc; pensando na inserção de adultos e/com crianças ambientando um espaço/atividade dedicada a eles para a melhor experiência de todos.

 

CARDÁPIO:

7 – Mostrar uma coisa nas fotos e entregar outra no prato. Porque obrigar o cliente a pagar por algo que ele não pediu? Exemplo, o cliente pede um prato que parece enorme na foto, e logo vem aquela porção pequena horrível sem graça. Resumindo, não é bom, ele come com ódio, sai com frustrado e depois fica falando mal do restaurante. [DICA] Tire fotos verdadeiras pra colocar no cardápio.
8 – Outra coisa que irrita demais é quando após muita indecisão o cliente escolhe o prato, e logo após é comunicado que não está disponível naquele dia. [DICA] Coloque um aviso no cardápio pedindo desculpas.

 

PREÇO:

9 – Cardápio sem preço, acontece naqueles lugares mais “cool” e o cliente fica tenso! Pode até ser caro e o cliente estar preparado para isso, só que na imaginação tudo fica mil vezes mais caro. [DICA] Se não quiser colocar os preços alinhados na coluna da direita para o cliente escolher o mais barato, coloque como texto corrido depois dos ingredientes.
10 – Erro nas contas e ficar explicando mil vezes o que consumiu ou o que não é extremamente irritante! O cliente perde o maior tempão conversando e tentando provar que não9 – Cardápio sem preço, acontece naqueles lugares mais “cool” e o cliente fica tenso! Pode até ser caro e o cliente estar preparado para isso, só que na imaginação tudo fica mil vezes mais caro. [DICA] Se não quiser colocar os preços alinhados na coluna da direita, coloque como texto corrido depois dos ingredientes.
10 – Erro nas contas e ficar explicando mil vezes o que consumiu é extremamente irritante! O cliente perde o maior tempão conversando e tentando provar que não consumiu aquilo que está na conta… muito chato! [DICA] Organize seu staff de garçons diariamente, direcione que eles se responsabilizem pelo setor designado. Assim cada um vai ser responsável por certo numero de mesas, prestando mais atenção aos pedidos.

 
Listamos 10 coisas depois de analisar monitoramentos e comentários nas redes sociais, mas poderíamos ter escrito mais umas 20! Aqui na Liga gastronômica descobrimos uma em especial que tira o pessoal do sério, mas preferimos nem comentar porque a polêmica vai ser grande (rsrs) Agora fica com vocês, contem pra gente, quais outras coisas vocês sentiram na pele que as pessoas odeiam nos estabelecimentos gastronômicos?
 
 
Não deixe de entrar no grupo de debate da nossa Liga gastronômica no Facebook e se quiser você também pode utilizar a nossa hora de consultoria gratuita via Skype ou whatsapp!
 
Como fazer? Fácil só adicionar o Emy Machado e aproveitar.
Contatos – Skype: emi.machado1 – Whatsapp: 48 – 99846 5499